Coronavirus

Auxílio emergencial do governo pode ser pago a 4,6 milhões de baianos

A pandemia do novo coronavírus deixou desamparada grande parte da população brasileira, que conta com o auxílio emergencial do governo federal, no valor de R$ 600. O benefício, que já foi liberado para milhões de pessoas em todo o país, pode chegar para 4,6 milhões de baianos, o que corresponde a 31% da população do estado.

Os dados são do Ministério da Cidadania e foram divulgados a pedido, por lei de acesso à informação, da Agência Fiquem Sabendo. Os números correspondem ao período entre 6 e 22 de abril e, segundo a pasta, são variáveis, uma vez que “o processo de requerimento do auxílio emergencial ainda está em pleno curso”.

Na Bahia, entre os que são considerados elegíveis pelo governo federal, quase 655 mil estão em Salvador, município que concentra o maior número de pessoas consideradas aptas a receber a ajuda financeira. Logo atrás estão Feira de Santana, com 163 mil beneficiados, seguida de Vitória da Conquista (93,4 mil), Camaçari (78,3 mil) e Juazeiro (71,8 mil).

Ainda segundo os dados disponibilizados pelo Ministério da Cidadania, no Brasil, os beneficiários do Programa Bolsa Família são maioria entre os elegíveis: 19,2 milhões, cerca de 38% do total, que já soma 50,2 milhões de pessoas, conforme os dados preliminares.

Em Salvador, os beneficiários do Bolsa Família representam 35% do total da população elegível para o auxílio emergencial, e em Feira de Santana os beneficiários do programa correspondem a 30% do total. Os dados são divididos entre beneficiários do Programa Bolsa Família, do Cadúnico e aqueles que têm outra forma de acesso ao auxílio emergencial (aplicativos ou site da Caixa).

 

Fonte: BNews

 

LEIA MAIS; Sobe o número infectados pela COVID-19 nos bairros da Santa Cruz e Nordeste de Amaralina em 24h

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, precisamos de anúncios para que possamos continuar te mostrando informações de credibilidade. Recomendamos que você desative o Adblock.