Salvador

Mais de 2 anos após integração ônibus-metrô, transporte complementar deve ser incluído em março

Decisão foi divulgada ontem (27) após reunião intermediada pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA)

Mais de dois anos depois da integração plena entre os ônibus e o metrô de Salvador, que é feita desde agosto de 2017, o transporte complementar, feito pelos conhecidos “amarelinhos”, também será incluído.

De acordo com o G1, a integração dos micro-ônibus complementares com os ônibus e metrô da cidade deve começar em  1° de março.

A decisão foi divulgada ontem (27) após reunião intermediada pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA). O acordo foi feito por representantes do governo do Estado, prefeitura e dos transportes complementares.

“As pessoas que também pegam o ‘amarelinho’ também vão poder integrar tanto com o sistema Integra, como também vão poder integrar com o metrô. Isso facilita, porque tinha pessoas que teriam que pagar duas passagens, porque em alguns locais o ‘amarelinho’ não conseguia chegar”, explicou o secretário da Semob, Fábio Mota.

O transporte complementar em Salvador é feito por duas cooperativas, que juntas contam 267 veículos. A integração só vai ser válida para ônibus com menos de oito anos, vistoriados e com acessibilidade garantida.

“Nós vamos ter um prazo de 120 dias para adequar os veículos que ainda não estão compatíveis com o regulamento. Eu acredito que, no máximo até março, nós estaremos trocando a frota em torno de 40 veículos, que é o que está precisando ser substituído hoje”, disse o presidente da Cooperativa de Transporte Alternativo Complementar de Salvador (Coopetac).

De acordo com a promotora Rita Tourinho, os “amarelinhos” terão uma autorização temporária para circular com integração. A prefeitura deve abrir, até novembro, uma nova licitação para a regularização do serviço.

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, precisamos de anúncios para que possamos continuar te mostrando informações de credibilidade. Recomendamos que você desative o Adblock.