União Notícias

Vendedores de Gás fazem passeata pacífica no Nordeste de Amaralina e região.

Insatisfeitos com Lei Federal nº 12.009. Que proíbe a venda do gás de cozinha em motos

Um grupo de revendedores de gás realizou uma passeata pacífica nas ruas do bairro do Nordeste de Amaralina e região, neste sábado (8). A passeata é contra uma lei Federal n° 12.009. Que proíbe a  venda do gás de cozinha em motos comuns. Os manifestantes saíram da concentração  da praça do final de linha do Vale das Pedrinhas e seguiram nas ruas principais da comunidade.

Foto: Divulgação

A lei Federal nº 12.009, entrou em vigor 4 de agosto de 2011. Que faz a proibição de vendedores autorizados de circular com gás de cozinha para entrega. É o que  a lei determina. Sendo assim, revendedores só poderão entregar gás em motos modelo side-car, um veículo de três rodas. Outras alternativas são as entregas em caminhões ou que o consumidor busque diretamente o produto nos depósitos. A novidade também abrange entregadores de galões de água mineral.

Aqueles que infringirem a lei terão que pagar multa no valor de R$ 900, ganham 5 pontos na carteira de habilitação e a motocicleta ainda está sujeita a ser recolhida.  A medida é vista com descontentamento pelo os revendedores.

Um dos lideres do movimento conversou com a equipe de reportagem do União Notícias. “A passeata tem o intuito de chamar atenção dos moradores do Nordeste de Amaralina e também pedir o apoio ao nossos clientes, contra essa lei federal, que já se encontra em vigor vedando e proibindo os revendedores de transportar o gás de cozinha e o garrafal de água mineral em nossas motocicletas. Somos todos trabalhadores, e pais de famílias que sobrevivem dessas atividades. Se isso acontecer, vamos entrar na estatística desse país dos desempregados. A lei obriga a fazer o transporte por meio de um triciclo muito perigoso e caro. O índice de acidente é altíssimo, ainda mais com nosso bairro que é cheio de becos e ladeiras”, explicou o líder Jardel Freitas.

“Abordamos também, que não somos nós que aumenta o valor do gás, e sim os empresários dono de postos, pois muitas das vezes somos recebidos com palavrões de baixo escalão, ex (vc é ladrão)”, reforçou o líder.

 

“Geralmente quando o gás acaba, o consumidor tem pressa para receber outro botijão. As novas medidas com certeza tiram o conforto e a agilidade das donas de casa. Ninguém vai querer sair de casa para buscar gás ou esperar horas pelo serviço”, acredita um dos lideres da passeata.

 

 

Redação União Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close