NotíciasSalvador

Sistema de Transporte Coletivo da Região Metropolitana avança com consulta pública

As empresas serão obrigadas a manter bons índices de desempenho, como pontualidade nos horários de saída e idade média da frota

O novo sistema de transporte coletivo rodoviário de passageiros da Região Metropolitana de Salvador vai contar com cerca de 60 linhas, divididas em três lotes. As empresas serão obrigadas a manter bons índices de desempenho, como pontualidade nos horários de saída e idade média da frota. Esta e outras características foram apresentadas nesta terça-feira (21), no Auditório da Agência Reguladora e Fiscalizadora dos Serviços Públicos de Salvador (Agerba), durante a primeira Audiência Pública para debater a abertura da Consulta sobre o sistema, publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) no último dia 12 de agosto.

 

Os interessados tiveram até o dia 14 deste mês para enviar as contribuições, sugestões e informações para auxiliar na elaboração do edital de licitação do novo sistema de transporte que atende a RMS. Segundo o empresário Renato Fontes, sua empresa apresentou algumas perguntas na consulta pública. “Também tivemos espaço para expor o que a gente precisa ajustar. Espero que a gente consiga harmonizar os interesses dos usuários e dos empresários. Agora aguardamos a licitação em si, e os ajustes apurados com as sugestões dos empresários”.

Foto: Divulgação

De acordo com o secretário da Infraestrutura do Estado, Marcus Cavalcanti, o sistema foi completamente redesenhado pela equipe técnica para atender melhor à população e com plena integração ao metrô. Segundo o secretário, novas linhas estão sendo criadas, com a possibilidade de o passageiro pagar uma passagem parcial, e um sistema que permite a integração entre os ônibus. Os veículos terão wifi, tomadas usb, ar condicionado e todos acompanhados por um sistema de GPS, para monitorar as viagens.

 

Cavalcanti informa que a consulta pública ainda está aberta no site da Agerba, para que depois seja iniciado o processo licitatório. Assim que terminar a consulta pública, haverá um prazo de 30 dias para consolidar o que foi apresentado pela população. A meta é que em dezembro seja feita a licitação, com a contratação no próximo ano.

 

Os três lotes compreendem as linhas que atenderão às áreas da Avenida Suburbana, da BR-324 e do Litoral Norte.  Segundo o diretor-executivo da Agerba, Eduardo Pessoa, com a medida da tarifa proporcional ao trecho percorrido, ficará mais eficiente o combate ao transporte clandestino. “Antes dessa audiência pública, nós recebemos sugestões durante 30 dias, e nossa equipe técnica está apresentando à sociedade as respostas”.

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios