Salvador

Samba junino anima Engenho Velho de Brotas no domingo (24)

Para participar, basta levar dois quilos de alimento não-perecível e trocar por uma camisa.

Em Salvador, além do forró, o São João também é animado com muito samba. O bairro de Engenho Velho de Brotas vai sediar um grande arrastão junino no domingo (24), a partir das 16h, organizado pelo Leva Eu. O grupo foi um dos apoiados pelo edital Prêmio Samba Junino, promovido pela Prefeitura por meio da Fundação Gregório de Mattos (FGM).

 

A concentração será no Largo da Capelinha e percorrerá algumas ruas do bairro até o fim de linha, com retorno para o largo. Após o desfile, na Rua Maria Felipa, haverá apresentações do grupo de samba Os Mulatos, de uma banda de forró e, pra fechar a noite, uma festa comandada pelo Leva Eu.

 

Para participar, basta levar dois quilos de alimento não-perecível e trocar por uma camisa, na Rua Maria Felipa, 29. Os alimentos serão destinados ao Núcleo Assistencial para Pessoas com Câncer (Naspec), em Brotas.

 

Edital – O Prêmio Samba Junino é voltado à salvaguarda da manifestação cultural, de acordo às diretrizes de política cultural do município e do Registro Especial do Samba Junino como Patrimônio Cultural de Salvador. Foram contempladas seis propostas, no valor de R$30 mil cada, que incentivam o fortalecimento, a manutenção e dinamização do Samba Junino no município de Salvador, além das formas de produção e reprodução, através da realização de ensaios, festivais, concursos, apresentações, “arrastões”, entre outras, no período junino.

 

Registro e história – Conforme a Lei 8.550/2014, o Registro Especial Cultural é aplicado aos bens culturais de natureza imaterial, inclusive aqueles comumente designados como eventos, passíveis de verificação no plano material por suas práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas, modos de fazer e instrumentos, objetos, artefatos e lugares associados. O registro funciona para o patrimônio imaterial como o tombamento para o patrimônio físico.

 

O samba junino representa uma expressão cultural genuinamente soteropolitana, marcado pela rítmica do samba duro, disseminada há pelo menos 40 anos em diversos bairros de Salvador, justamente no período junino. Serviu como base para o surgimento de estilos musicais contemporâneos como o pagode baiano, além de projetar muitos artistas conhecidos do grande público como Tatau, Reinaldo, Ninha e Márcio Victor. Os bairros tradicionais que realizam os festejos são Engenho Velho de Brotas, Engenho Velho da Federação, Federação, Fazenda Garcia, Tororó e Nordeste de Amaralina.

Fonte: Agência de Notícias

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, precisamos de anúncios para que possamos continuar te mostrando informações de credibilidade. Recomendamos que você desative o Adblock.