Politica

Queiroga indica se contrapor a conduta de Bolsonaro de promover aglomeração e não usar máscara

Em ao menos duas ocasiões em seu depoimento à CPI da Covid, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, insinuou ser contra condutas do presidente Jair Bolsonaro.

Em um primeiro momento, o ministro, que é médico, foi questionado pelo relator, Renan Calheiros (MDB-AL), a respeito de aglomerações causadas pelo presidente e sobre o fato de o mandatário não usar máscaras.

Queiroga afirmou já ter conversado com Bolsonaro sobre o tema ao dizer que sempre buscou orientar as autoridades a cumprirem medidas de prevenção ao coronavírus, entre elas o uso de máscaras, mas afirmou que não faria juízo de valor em relação à postura do presidente.

“Isso é um ato individual, senador. As imagens, elas falam por si sós. Eu estou aqui como ministro da Saúde para ajudar o meu país. É esse o meu objetivo. E não vou fazer juízo de valor a respeito da conduta do presidente da República”, respondeu Queiroga.

Posteriormente, senadores questionaram ao ministro se ele tem insistido com Bolsonaro para que ele cumpra medidas não farmacológicas de enfrentamento à Covid e ele afirmou que sim.

“Perfeitamente. Certo? O compromisso é individual; o benefício é de todos. Reitero aqui perante os senhores. O médico tem obrigação de meios, não tem obrigação de resultados. E o meu meio é a minha voz e usarei. Isso não quer dizer que eu vou conseguir, senador Renan”, continuou Queiroga.

O ministro afirmou ainda que “quer conseguir” e trabalhará fortemente por isso, indicando se tratar de uma mudança de comportamento de Bolsonaro.

 

Fonte: Folhapress

LEIA MAIS;

Brasil enfrenta Paraguai fora de casa pelas Eliminatórias da Copa

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, precisamos de anúncios para que possamos continuar te mostrando informações de credibilidade. Recomendamos que você desative o Adblock.