Saúde

Prefeitura lança Operação Dengue com novas medidas em todos os bairros de Salvador

Ações visam evitar que doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti impactem mais ainda o sistema de saúde já pressionado diante da pandemia da Covid-19

“Vamos evitar que a dengue, a zika e chikungunya contribuam para uma pressão ainda maior no nosso sistema de saúde”, afirmou o gestor municipal. De acordo com ele, a participação da população no enfrentamento ao mosquito deve ser reforçada durante a pandemia, pois as pessoas precisam ficar mais tempo em casa devido às medidas de isolamento social e os agentes não poderão entrar nas residências, como era feito em anos anteriores.

“Com a pandemia, a população precisa fazer ainda mais a sua parte”, disse o prefeito. Diante da crise sanitária causada pelo coronavírus, ele reforça a importância de “evitar um ambiente propício para o mosquito durante o isolamento social”. E lembra: “esse ano não vamos poder entrar nas casas”.

Em substituição às ações que eram feitas por agentes dentro das casas, Bruno Reis informou que serão feitas orientações aos moradores e a distribuição dos insumos para eles manusearem.

Em 2020, foram realizadas medidas de combate a arboviroses em 15 bairros, 21 canais e 64 ruas foram contempladas. Este ano, as ações serão realizadas em todos os 12 distritos sanitários e 170 bairros de Salvador. Foi reservado R$ 2,5 milhões para o combate exclusivo ao Aedes aegypti.

Confira as inovações nas medidas anunciadas para 2021:

  • Motofogs (inseticidas aplicados através de motos): um método mais rápido e que permite um maior acesso a lugares da cidade;
  • A inserção do produto “larvicida” nos bueiros (pastilhas efervescentes);
  • A substituição de formulários impressos para tablets;
  • A capacitação da Rede de Atenção Primária  de Urgência e Emergência relacionada às arboviroses;
  • A distribuição de 30 mil testes rápidos para o diagnóstico da dengue, zika e chikungunya em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Participarão das ações 1 mil agentes de combate – 200 individuais com pulverizadores (permite acesso em lugares menores) – com a assistência de 20 veículos tipo Doblô; dez caminhonetes (seis para aplicação de UBV (fumacê) leve e quatro para UBV pesada); e 12 motos. Além disso, haverá o apoio de outros 36 agentes de combate a endemias (ACEs) de secretarias.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), junto com a Secretaria de Manutenção da Cidade (Seman) irá realizar a limpeza dos canais. A ação, que custará R$ 8,5 milhões, será acompanhada da inserção dos inseticidas e pastilhas efervescentes.

Além disso, a SMS fará, ainda, em conjunto com a Assessoria de Comunicação (Ascom) e a Secretaria de Comunicação Social (Secom), campanhas publicitárias de conscientização sobre as doenças. E, com a Secretaria Municipal da Educação do Salvador (Smed), haverão campanhas educativas nas aulas virtuais das escolas municipais e, quando retornarem presencialmente, as escolas receberão inspeções zoosanitárias.

Com a Empresa de Limpeza Urbana do Salvador (Limburb) e a Guarda Municipal, a SMS vai continuar realizando o “bota fora” nos bairros (recolhimento de materiais que podem incentivar a reprodução do mosquito). A Secretaria de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre) também fará intervenções em 150 imóveis de acumuladores.

Fonte: Metro1

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar

AdBlocker Detectado

Por favor desative seu Ad Blocker ou nos adicione como exceção.