Comunidade

População do bairro da Santa Cruz lida com restrições de serviços

Os moradores sofre com a falta dos serviços públicos nesta sexta-feira (27)

Depois de dois dias de susto, além da falta de atenção por parte do Estado e da Prefeitura, a população da Santa Cruz é obrigada a lidar com restrições de circulação e de serviços, como transporte, saúde e educação.

Ao todo, 15 escolas e 3 creches estão fechadas na região do Nordeste de Amaralina. A paralisação prejudica mais de 4 mil alunos, a maior parte deles, é do bairro da Santa Cruz, aonde aconteceu o fato da morte do jovem Herivelto Souza Santos de 22 anos, após ação policial. “Dizem que o caminho é a educação? Mas as escolas não abrem, como ficam nossas crianças, sem aula há dois dias?”, indagou uma moradora.

Alunos de escolas municipais no bairro da Santa Cruz ficam sem aulas.

O Posto de Saúde localizado no bairro da Santa Cruz também não abriu as portas desde o começo da ação PM. Em nota, a Secretaria de Saúde do município disse que a unidade só vai voltar a funcionar depois da avaliação que será feita na segunda feira (30/10).

Desde que o ônibus foi incendiando, o serviço de transporte público foi suspenso na região, por ordem do sindicato dos rodoviários de Salvador. Na quarta-feira (25), passageiros não puderam contar com o sistema de transporte durante as últimas horas, após os fatos ocorridos no bairro da Santa Cruz. As linhas de ônibus que passam pela região do Vale das Pedrinhas e do Nordeste de Amaralinas, também foram afetadas.

Para a auxiliar administrativa Patrícia Evangelista, de 44 anos, nascida e criada em Santa Cruz, as ações da PM mal feita, impedem os moradores de terem acesso aos serviços básicos, como escolas e postos de saúde, e de se locomover. “As escolas não funcionam, não se acessa os serviços de saúde, as linhas de ônibus param de funcionar. Você pode perder o seu emprego porque não consegue sair para trabalhar”, lamenta.

Redação União Notícias

Fotos União Noticias

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Faltei trabalho pois a creche Dália de Menezes não funcionou quinta feira e também na sexta feira e a minha filha de 3 anos não tinha com quem ficar
    E muito difícil pois com o desemprego da forma como está não podemos faltar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, precisamos de anúncios para que possamos continuar te mostrando informações de credibilidade. Recomendamos que você desative o Adblock.