Notícias

Justiça do Paraguai nega prisão domiciliar a Ronaldinho Gaúcho e irmão

Os ex-jogadores foram presos na última sexta pelo uso de passaportes falsos

A Justiça do Paraguai negou hoje (10) o pedido da defesa de Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Roberto de Assis para que eles passassem a cumprir prisão preventiva em regime domiciliar.

Os ex-jogadores foram presos na última sexta-feira (6), na penitenciária Agrupação Especializada da Polícia Nacional, em Assunção, pela utilização de passaportes falsos para entrar no país.

O prazo para prisão preventiva no Paraguai é de seis meses, enquanto correm as investigações do caso pelo Ministério Público. Eles correm o risco de ficarem detidos até lá. Os advogados chegaram a apresentar um imóvel no valor de US$ 800 mil (cerca de R$ 4 milhões) como garantia de residência no país, mas a Justiça considerou o valor baixo para que não houvesse risco de fuga.

As informações são do Metro1

LEIA MAIS;

Cras do Nordeste de Amaralina promove roda de conversa sobre Direito do Consumidor

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar

AdBlocker Detectado

Por favor desative seu Ad Blocker ou nos adicione como exceção.