Politica

Governo entende que não há motivo para greve de caminhoneiros, diz Marun

Segundo o líder do movimento dos caminhoneiros de Salvador, o comunicado da paralisação foi uma iniciativa isolada

Após o anuncio da União dos Caminhoneiros do Brasil (UDC), de que fará uma nova paralisação nacional após o feriado de 7 de setembro, Carlos Marun, afirmou que o governo do presidente Michel Temer entende que “não existem motivos para um novo movimento grevista” dos caminhoneiros e que “acredita que o bom senso prevalecerá”.

 

“O governo federal cumpriu todos os compromissos assumidos quando do encerramento do movimento dos caminhoneiros de maio”, disse à Folha de S.Paulo no início da noite, quando questionado sobre o que a gestão pretende fazer para evitar uma nova paralisação das categorias.

 

O ministro também disse que o “diálogo entre o governo e os caminhoneiros é permanente”. “Por tudo isto, mesmo acompanhando a situação, o governo entende que não existem motivos para um novo movimento grevista e acredita que o bom senso prevalecerá”, disse.

 

O comunicado da paralisação foi uma iniciativa isolada de um dos membros do grupo de Whatsapp, de acordo com o caminhoneiro Salvador Edimilson Carneiro, que administra o grupo de Facebook União dos Caminhoneiros do Brasil.

 

Porém, tanto Carneiro como outras lideranças dos protestos de maio -como Gilson Baitaca e Wallace Landim (Chorão)- confirmam a disposição da categoria em discutir uma nova manifestação. Os caminhoneiros também afirmam estarem organizando um ato dia 12 de setembro em frente ao prédio da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) para exigir fiscalização e o cumprimento das leis aprovadas em junho.

 

Fonte: Radar Bahia

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, precisamos de anúncios para que possamos continuar te mostrando informações de credibilidade. Recomendamos que você desative o Adblock.