EmpregoNotícias

DIA DO ESTAGIÁRIO CELEBRA A INSERÇÃO DE JOVENS NO MERCADO

Conheça os principais benefícios trazidos por esse modelo de contratação

Em alusão à primeira norma regulamentadora do estágio no país, o dia do estagiário é celebrado em 18 de Agosto. A data serve para reforçar a ideia de como essa modalidade é o melhor meio de inserir jovens no mercado de trabalho. Contudo, apesar de sua relevância na vida dos estudantes, apenas 1 milhão deles consegue uma oportunidade. O desafio, então, está em ampliar essas chances e investir na trajetória profissional de quem estuda. Afinal, a cada cem matriculados no ensino médio, somente dois conseguem uma vaga. No ensino superior, a realidade não é muito diferente: apenas nove em cada cem estagiam. Portanto, a dificuldade está em como mudar esse cenário.

 

Enquanto o desemprego chega à marca de 12,7%, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a taxa é ainda maior entre quem tem de 18 a 24 anos: 28,1% deles estão fora do mundo dos negócios. O problema não está somente na desocupação. Afinal, segundo a Abres – Associação Brasileira de Estágios, 60% dos acadêmicos utilizam a bolsa-auxílio para pagar suas mensalidades. “A falta de chances restringe o acesso à faculdade, até porque 75% dos graduandos são matriculados em entidades privadas, de acordo com o MEC – Ministério da Educação”, aponta o presidente da Abres, Seme Arone Junior. “Assim, o estágio serve como um patrocinador e financiador de carreiras”, expõe.

 

Por meio dessa modalidade, consequentemente, é possível aumentar o número de ingressantes no nível superior e diminuir a disparidade entre a pequena quantia de universitários do Brasil em relação a outros países. “Se analisarmos lugares como Colômbia e Costa Rica, vemos um acréscimo de quase o dobro no total de formados”, expõe. Segundo dados do EAG – Education at a Glance, apenas 16,3% dos brasileiros entre 25 e 34 anos possuem essa escolaridade, contra 27% na Colômbia e 28% na Costa Rica, para a mesma faixa etária. Isso sem citar nações como a Coréia do Sul, onde a contagem chega a quase 70%.

 

 

Logo, o estágio é um grande incentivo à educação, pois promove não somente a permanência do jovem na instituição de ensino, como também a junção do conteúdo desenvolvido em sala de aula com a prática do mundo corporativo. “Estamos falando do ‘ato educativo escolar supervisionado desenvolvido no ambiente de trabalho’. Assim sendo, os líderes e gestores devem enxergar os estudantes como um braço indispensável de seus empreendimentos, pois o futuro é de quem tem vontade de aprender”, defende Arone Junior. Assim, é possível desviar dessas estatísticas e diminuir a taxa de evasão das escolas.

 

O dia 18 de agosto faz referência ao decreto nº 87.497/82, responsável pela instauração de regras para a atividade. Hoje, todas as regras para promover esse tipo de contratação são organizadas pela Lei 11.788/2008. A partir desse novo dispositivo legal, foram estabelecidas algumas regras. Dentre elas, estão a carga máxima de 6 horas diárias e 30 semanais, o seguro contra acidentes pessoais, o pagamento de bolsa-auxílio, recesso remunerado e auxílio-transporte.

 

Além disso, o mesmo texto estipula alguns incentivos para quem contrata, pois essa admissão não gera vínculo empregatício. Desse modo, a empresa fica isenta da parte burocrática relacionada ao FGTS, 13º salário e verbas rescisórias, por exemplo. “Essas medidas são implementadas justamente para estimular a abertura de vagas nos mais diversos setores e negócios, porque a quantidade de alunos atuantes no mercado poderia ser maior”, afirma o presidente. “É necessário promover o aprendizado concreto de quem quer crescer na carreira, pois isso pode garantir colaboradores mais qualificados e capacitados em um time”, continua.

 

Karla Domingues é um bom exemplo de como essa atividade traz ganhos à trajetória de um profissional. Cursando contabilidade, a graduanda fala sobre sua vivência. “Essa experiência promove o aumento da bagagem técnica”, expõe. De acordo com a universitária, só é possível evoluir quando esse espaço é oferecido. “Dá para aprender quando são fornecidas vias para isso”. Portanto, promover o desenvolvimento de colaboradores por meio dessa prática pode trazer diversos benefícios a uma instituição.

 

Logo, quem ocupa essa posição, está preparado para contribuir de maneira positiva para o fortalecimento econômico do Brasil. “Em um ano de instabilidade política, é válida a reflexão: somente com a educação é possível traçar um futuro digno para todos. Por isso, promover o estágio traz vantagens para o âmbito social e econômico de toda a nação”, finaliza o presidente.

 

Fonte: Seme Arone Junior, presidente da Abres

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios