Salvador

Cultura brasileira de luto: Morre sambista Riachão

O sambista Riachão morreu nesta segunda-feira (30). O compositor de Cada Macaco no seu Galho, que recebe o nome do circuito da Mudança do Garcia no Carnaval de Salvador, um dos maiores expoentes da cultural popular brasileira, faleceu com 98 anos em seu casa, em Salvador.

O samba da Bahia está em luto. Morreu nesta segunda-feira (30/3) o sambista Riachão – nome artístico do cantor e compositor baiano Clementino Rodrigues. Aos 98 anos, ele teria passado mal durante à noite, chegou a ser socorrido, por uma equipe médica, em sua residência, no bairro do Garcia, em Salvador, mas não resistiu. Ainda não se sabe a causa da morte.

Autor de clássicos como “Cada Macaco no seu Galho” e “Vá Morar com o Diabo”, o sambista baiano dizia ter mais de 500 composições e, embora tenha lançado apenas três álbuns individuais, teve músicas gravadas por Jackson do Pandeiro, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa e Cássia Eller, entre outros nomes. Suas criações fazem referência a cenas, situações e personagens da vida cotidiana da Bahia —não à toa, foi apelidado de cronista musical da cidade em seus tempos de cantor de rádio.

Clementino Rodrigues, conhecido como Riachão, nasceu em Salvador e cresceu no bairro Garcia. Começou a cantar aos 9 anos e fez a primeira composição aos 12.Pela irreverência malandra da obra e pela vitalidade do artista, Riachão resistia como uma das mais perfeitas traduções do buliçoso samba da Bahia.

 

VEJA MAIS;Cultura brasileira de luto: Morre sambista Riachão

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, precisamos de anúncios para que possamos continuar te mostrando informações de credibilidade. Recomendamos que você desative o Adblock.