ComunidadeEntretenimento

Compositores do Nordeste de Amaralina vencem Festival da Música Negra do Ilê Aiyê

Músicas integram o repertório do bloco afro em 2024

Mãe Hilda e as bodas de ouro do primeiro bloco afro do Brasil, foram os temas das canções vencedoras do primeiro lugar da 49ª edição do Festival de Música Negra (FMN) do Ilê Aiyê, que revelou, no último domingo (10), as novas canções que vão integrar o repertório do bloco em 2024 e o seu aniversário de 50 anos.

O concurso premiou seis músicas em duas categorias – três em cada uma delas: Tema e Poesia. O vencedor da categoria Tema foi o trio de compositores formado por Juca Maneiro, Sandoval Melodia e Roberto Cruz, com a música ‘Ilê Bodas de Ouro’. Os vencedores da categoria Poesia também formam um trio, composto por Julinho Magaiver e Rosseline Leite, com participação de Wallace Fernando, com a música ‘Gratidão’.

Em ‘Ilê Bodas de Ouro’, os compositores convocam o público a celebrar os 50 anos do Ilê com orgulho. Segundo eles, a canção foi composta em duas semanas, em algumas etapas, por meio de mensagens trocadas por aplicativos de mensagem. O troféu do último domingo não foi o primeiro do trio.

Eles acumulam cinco participações no FMS, das quais saíram vencedores do primeiro lugar em todas. A última vitória aconteceu em 2017, com a canção ‘Recôncavo Afro’. Sandoval reforça que, nos 25 anos que o trio compõe, o intuito de escrever as canções para o Ilê é retratar a negritude como majestade. “Estar sempre fazendo da nossa música afro, a nossa ponte para a gente sobreviver lá na frente e dizer o que somos de verdade. Somos cultura e ancestralidade”, destaca Sandoval.

Na categoria Tema, os participantes compuseram as músicas inspiradas no tema do Carnaval do Ilê em 2024: ‘Vovô e Popó – com as bênçãos de Mãe Hilda Jitolu. A invenção do Bloco Afro. A se não fosse o Ilê’.

Apesar de ter tido mais liberdade para se inspirar em outros elementos da história do bloco afro, os vencedores da categoria Poesia decidiram se manter dentro do tema e homenagear Mãe Hilda, matriarca do Ilê. O trecho da música ‘Gratidão’ que Magaiver destaca como seu xodó é ‘Subir a sagrada ladeira cantada pelo meu povo preto, ao meu axé devo respeito’, por destacar a importância de valorizar a expressividade negra.

Crédito: Paula Fróes/ CORREIO

Assim como o trio vencedor da categoria Tema, ele também não é um calouro no FMN. Magaiver já participou do concurso 15 vezes, foi vencedor em 10 delas e levou o segundo lugar em cinco. A canção mais nova estava sendo preparada desde o último Carnaval, como ele conta com emoção. “Todos os meus títulos [eu considerado] como os meus primeiros. Eu quero homenagear as pessoas que não são homenageadas, representar o povo preto”, afirma o compositor.

As canções vencedoras foram escolhidas entre 110 inscritas nesta edição – oito na categoria Tema e nove na Poesia. Do total, 17 foram selecionadas como finalistas pelo júri. Na categoria Tema, os participantes compuseram as músicas inspiradas no tema do Carnaval do Ilê em 2024: ‘Vovô e Popó – com as bênçãos de Mãe Hilda Jitolu. A invenção do Bloco Afro. A se não fosse o Ilê’.

Os compositores das canções vencedoras também foram premiados com dinheiro. Na categoria Tema foram pagos, respectivamente, R$7 mil, R$6,5 mil e R$6 mil. Os contemplados no grupo Poesia receberam R$6,5 mil, R$6 mil e R$5,5 mil. Todos os 17 finalistas receberam o Troféu Pássaro Preto e duas fantasias do Ilê Aiyê para desfilar no bloco no próximo Carnaval.

Créditos: Jornal Correio da Bahia

LEIA MAIS;

Moradora de Salvador é a primeira a ganhar prêmio de R$ 1 milhão no “Quem Quer Ser Um Milionário”

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar

AdBlocker Detectado

Por favor desative seu Ad Blocker ou nos adicione como exceção.