Comunidade

Comerciantes do Nordeste de Amaralina protestam após prorrogação de medidas restritivas

Moradores e comerciantes do bairro do Nordeste de Amaralina, em Salvador, realizaram um protesto na manhã desta sexta-feira (13/8) contra a manutenção das ações de combate ao coronavírus por mais uma semana na localidade. As restrições estão na região há mais de um mês.

O grupo se reuniu na Rua Cristóvão Ferreira e interditou a via. Equipes da Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) foram acionadas para acompanhar a situação.

A medida foi divulgada na quinta-feira (13/8) pelo prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), devido ao aumento do número de casos confirmados da doença no bairro, 972. Comerciantes informais, ambulantes e feirantes, estão recebendo cestas básicas para minimizar os impactos causados.

“Hoje, está vencendo o prazo da presença de ação e proteção de apoio no Nordeste de Amaralina. Já estamos há cinco semanas lá. Estamos prorrogando por mais uma semana. Sei que os comerciantes estão sofrendo bastante pela suspensão das atividades econômicas, mas se não reduzir os números, não temos como sair de lá”, disse o prefeito, na quinta-feira (13/8), ao anunciar a manutenção.

As proibições incluem a paralisação de atividade econômica formal e informal, de ambulantes e feirantes. É permitido apenas funcionamento de supermercados, panificadoras, açougues, farmácias, agências bancárias, repartições públicas, cartórios, serviços de saúde de urgências e emergências e hospital, serviços de imagem radiológica, atendimento de tratamento contínuo a exemplo de oncologia e laboratório de análises clínicas.

 

Fonte: Aratu on

 

LEIA MAIS; AL-BA promulga lei que reduz mensalidades escolares em até 30%

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, precisamos de anúncios para que possamos continuar te mostrando informações de credibilidade. Recomendamos que você desative o Adblock.